Arquivo para janeiro, 2012

seu

Posted in em destaque on janeiro 31, 2012 by felipert

Já perdi. O instinto quer vencer e satisfazer. Eu abati.
Sai correndo como saí, e vendi meus planos. Não fez erro, não reagiu contrário.

Mesmo que precisemos espaço, é seu já o meu pedaço.
Respiro e digo em razão que é sua, com sentidos apurados para vê-la nua.
só.

Na ideia fajuta de dormir sem peso
ou na de te ter e sair ileso
sinto cronos mortos e além
de ir, quero que venha, bem.

Viu-se em desespero pelo irmão
e não fosse o apelo a mão
quem teria acertado o rosto
de quem partiu rumo ao oposto.

Venha, tua falta é a maldita.
E que não encontro na escrita
definição pro que tem bem dentro
mais “acentrado” que o próprio centro.

Obrigado.

Anúncios

Instinto inocente

Posted in em destaque on janeiro 14, 2012 by felipert


Instinto inocente. Decifrou cada língua e toda boca. No discreto secreto momento, atirou-se a mordiscar e apalpar sua pele. Sentiu suas costas arderem mesmo sem que o intuito fosse refrescar. Dado a intenso e cheio de tensão, reage o outro corpo em delírio sentido com a libido a todo vapor. Mal tocou suas partes e já sentiu que era “possua-me” o grito infinito que ouvia. Em seu ato de rebeldia, moeu as roupas como palha. Ardeu o sorriso do sim e direcionado ao fim fez com que tudo tivesse sentido. Com leves ares que soltava, o que dizer do ‘pelo contrário’ que ela mencionava.

O mundo parou por 5 minutos e a volta deles só o ar se movia.

contingente.

Posted in em destaque on janeiro 2, 2012 by felipert

Vendo o que passou há tempos, impossível querer bem aos outros. Quando pisa num pedaço incômodo, arde e dói após alguns segundos. Esse motivo detestável faz da memorável cólera, alimento intenso.
Os tempos passam sempre e outra vez enfia a vida onde já tem completo espaço, e do maior embaraço sai ardendo e doendo.

Contingente sorriso, infalível e impreciso, ainda assim, infiel.
Dando espaço ao tempo e tempo ao medidor de espaço, a parede vem de encontro e seu rosto é amassado.
O espaço não precisou disso, uma vez sequer. No antro da mulher, findando compromisso. Eu que já fui do lado de cá, me prefiro olhando pela fresta, intentando que não vá, ou que seja pra minha festa.