Archive for the parafernaliando e tal Category

meu novo numero da sorte

Posted in categoricamente, parafernaliando e tal on agosto 4, 2010 by felipert

Gosto de jogo, de jogar. Me incita, quando algo cogita, que meu melhor está a par. Sendo racional, irracional. Importante é o desafio, desde que me levem a fio. Agravado e somado à isso, vem a incoerência sensata da prole. É amor, talvez vicio, nutrir e erguer sua desistência, ligada por trole. E arrebentando, como água e minha lâmina, infiel da tua estâmina.

Olhe.

Algo me entristece e é o mesmo que efervesce meus demônios. Faz do visto, marias em antônios, invisto falas em saxônio, para que percam vindas ao puro lacônio, juro fome. Ei de me alimentar das tuas memórias, e criá-las, domá-las e satisfazer.

Simplório, bem de quem pediu, viu o vil, indicou aliança, pueril. E viveu feliz, curou da cicatriz. Realizou que possui dos dois, melhores partes. Que ditou dos outros, destarte, designou as tais melhorias.

O sindicato ainda é meu fato. Ato que não desacato. Sim, já falei algo disso, mas no abisso particular, sondo secretamente tudo aquilo que despejei em ti.

Anúncios

antítese

Posted in parafernaliando e tal on julho 13, 2010 by felipert

antítese

s. f. Oposição de ideias ou palavras (ex.: feio de corpo, mas bonito de alma).

fonte

Agravavam noites, na ardência do céu do dia
enquanto chorava pelos cantos mornos, ria.
Das alucinações de um ser incrivelmente são
surgem ocupados espaços delicados do vão
ao gritar eloquente, sinais de quem se cala
gesticula aos montes enquanto perde a fala
e sábio vê sem rumo num caminho tao dedilhado
com incessos não escassos de um vociferado
ódio, que te da maior prazer que amar
ao que te tirou o melhor desdizer do cantar.

obs: dia mundial do rock. parabens aos adeptos etc etc…

mais um

Posted in parafernaliando e tal on junho 30, 2010 by felipert

Suavemente, desce sob meu corpo, indefinida amargura, indelicada e segura, arma contra meu próprio. É quando mordem as iscas, e lá se ferem. Capturados em segundos, nem imagem aos oriundos, que já foram.

Incerto de que há o grande maior, o homem ferido se opõe ao ódio e se reabilita a vida social de maneira Real. Disseram-lhe que a vida é dor, que o medo é respiração, que mentira é estar acordado. Ele não creu, tanto em si como nos seus que vagueavam ofensivamente a psique do rapaz.

Profundamente árduo, incontingente e além do vácuo. Soletrando satisfatórias dicas, diligentes e absurdamente criativas.

Morte ao que não quer viver. Nesse exato momento, estou procurando por minha alma.

sorri

Posted in parafernaliando e tal on junho 18, 2010 by felipert

dedicando todos movimentos ao momento.

hoje, sorri sem restrição. a culpa por não ser meu mártir foi pra puta que te pariu. por ser o facilitador da minha própria dor. tenho medo de ser assim.

minha mãe!

Posted in parafernaliando e tal on junho 13, 2010 by felipert

que mae pergunta
filho ta tristinho hoje na folga quer comer alguma coisa especial? você diz yakissoba e ela corre no supermercado compra tudo e te alimenta deliciosamente?

post especial do dia 12/06

Posted in parafernaliando e tal on junho 12, 2010 by felipert

love you till i get old

12/06

Posted in parafernaliando e tal on junho 9, 2010 by felipert

o blog completará 1 mês de existencia.
e tem post especial, ein…
aguardem ai.